Como Viajar Para O Exterior Tendo Hiv
Como Viajar Para O Exterior Tendo Hiv
Especialista em Aidsespecialista hivhiv spMedicina do ViajanteTratamento HIVViajando com HIV

Como viajar para o exterior tendo HIV?

Como viajar para o exterior tendo HIV?

Como viajar para o exterior tendo HIV? O ideal é que não interrompa o tratamento, mas precisa verificar a política do país quanto a receber pessoas portadoras do vírus HIV. Converse com o médico que o acompanha, para que possa orientá-lo quanto à situação.

Viajando com HIV

A maioria das pessoas tem o objetivo de fazer uma viagem para aquele lugar tão esperado em alguma época da vida, e não quer que nada atrapalhe.

O mesmo acontece com pessoas vivendo com HIV e isto não é motivo para não terem uma vida normal. Muito pelo contrário. Pacientes com HIV pode fazer projetos de viagem ou até mesmo de mudança para outro país.

Mas para que isso ocorra sem imprevistos ou inconvenientes, alguns detalhes devem ser levados em consideração no momento do planejamento da viagem, como a entrada com medicamentos antirretrovirais no país de destino.

Alguns países possuem restrições maiores quanto a entrada de pessoas portadoras do vírus HIV.

Como viajar para o exterior tendo HIV? – Vale a pena lembrar que não é aconselhável deixar de tomar os medicamentos do HIV, mesmo que por curtos prazos, pois isso possibilita a evolução da doença, tanto quanto o aumento da situação inflamatória generalizada causada pela própria circulação do vírus no organismo.

Direito de ir e vir

O direito de ir e vir é um direito básico do ser humano.

No entanto, mais de 60 países atualmente estão restringindo a liberdade de circulação das pessoas vivendo com HIV.

Entre esses países, 15 estão na região da Europa.

Os Estados Unidos removeram as restrições de entrada para pessoas vivendo com HIV desde 2010.

Mudanças legislativas similares foram feitas na China recentemente.

Categorias de restrição

  • Países sem restrição
  • Países com barreiras de entrada
  • Países com pequenos termos de restrição
  • Países com grandes termos de restrição
  • Países sem restrições bem definidas
  • Países sem informação
  • Países que deportam pessoas com HIV

Dicas importantes:

Vou viajar para fora do Brasil. Como faço com o tratamento do HIV?

  • Carregue sempre seus medicamentos em bagagem de mão (bagagens despachadas podem ser atrasadas ou extraviadas);
  • Sempre leve medicação extra para o caso de algum imprevisto ou que atrase a data de regresso;
  • Leve consigo a receita médica em inglês (mas não há necessidade de mencionar o HIV);
  • Mantenha os medicamentos sempre nas embalagens originais, preferencialmente lacrados e rotulados com o seu nome;
  • Não divulgue o seu diagnóstico de HIV desnecessariamente para outros viajantes, funcionários de alfândega ou de imigração.

Seguro de viagem

Seguro de viagem é algo indicado para qualquer pessoa em qualquer viagem, especialmente ao exterior.

Sua importância aumenta de acordo ao destino e objetivo da viagem.

No entanto, para pessoas vivendo com HIV que permanecerão por longos períodos ou que possuem uma situação frágil de saúde, isso se torna ainda mais importante.

Os planos mais básicos cobrem:

  • Despesas médicas, hospitalares, odontológicas;
  • Regresso sanitário (quando o passageiro não é capaz de retornar em voo regular por motivos de acidente ou outro);
  • Translado médico;
  • Translado do corpo em caso de morte;
  • Invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem.

Viagens de longos períodos

Para o caso de pessoas portadoras do vírus HIV que vão se ausentar do Brasil por um período entre 90 e 180 dias, a opção para a não interrupção do tratamento, é solicitar a dispensação dos medicamentos antirretrovirais para o período em questão. Mas para isso, é necessário atender aos requisitos mínimos solicitados e enviar toda a documentação necessária com 30 dias de antecedência. Você pode saber mais sobre os requisitos e documentação no site do Ministério da Saúde.

Já para períodos maiores, uma pessoa de sua confiança pode pegar os remédios em seu nome na farmácia na qual você tem registro e enviá-los por transportadoras internacionais.

Nesse caso, é interessante verificar regulamentos aduaneiros específicos no país em que você estará.

Informe-se sobre a existência de clinicas locais especializadas em HIV ou entre em contato com grupos de apoio a pessoas vivendo com HIV.

Você pode adquirir algumas informações também diretamente no consulado do país para qual irá viajar.

Após receber o diagnóstico da infecção por HIV/AIDS, o paciente deve marcar ou pode ser encaminhado para uma consulta com um Especialista na área de Infectologia. Estou aqui para ajudar a prolongar a vida e manter a qualidade para que sua saúde permaneça praticamente intacta.