(11) 2533-0292
sexta-feira, 16 novembro 2018
Esqueci De Tomar O Remédio Do Hiv
Especialista em Aidsespecialista hivFalha tratamentoHIVhiv spTratamento HIV

Esqueci de tomar o remédio do HIV. E agora?

37visualizações
3 min leitura

Esqueci de tomar o remédio do HIV. E agora?

Esqueci de tomar o remédio do HIV. E agora? Como saber se posso pular um dia os medicamentos do HIV? A resposta é simples, você não pode. Continue lendo o artigo para entender melhor sobre o assunto.

Tratamento HIV com antirretrovirais

Após receber o diagnóstico da infecção por HIV, o paciente deve dar início ao tratamento que é feito com antirretrovirais e isso deve ser feito o quanto antes.

O tratamento deve ser iniciado, mesmo em pessoas com imunidade normal. Não podemos esperar a imunidade abaixar para iniciar o tratamento, pois o vírus circulando no sangue provoca muitas outras complicações ao organismo, muito além da queda da imunidade.

O tratamento deverá ser acompanhado pelo médico, para verificar a resposta do organismo ao tratamento, os exames do paciente e a sua condição geral de saúde.

O que ocorre ao “pular” as tomadas da medicação?

Quanto maior o atraso da tomada da medicação, mais os níveis do remédio diminuem no sangue até ficarem abaixo do nível mínimo de remédio que precisa para se conseguir uma supressão do vírus HIV.

A partir desse momento, o vírus pode começar a se multiplicar de novo, aumentando o risco de criar resistência aos medicamentos que o paciente faz uso.

O tempo que uma medicação leva entre a última tomada e o momento em que deixa de fazer efeito, possibilitando a replicação do vírus HIV, varia de remédio para remédio.

Além disso, mesmo que os níveis do remédio no sangue estejam menores do que estariam se a pessoa tivesse tomado normalmente, ainda existe medicação no sangue, e por isso não caracteriza necessariamente em uma falha no seu tratamento. 

PEP

A PEP é um esquema de antirretrovirais usados em pessoas (não portadoras do vírus) que se expuseram ao risco de contrair HIV. No entanto, seu uso está indicado em casos de risco significativo de transmissão do HIV.

O uso da PEP é eficiente na maioria das vezes, desde que tomado da maneira correta. Seu uso é indicado para início com no máximo 72h da exposição de risco, após esse período não há benefício comprovado. Quanto mais cedo seu início, mais eficiente será seu efeito.

O esquema é composto por 2 comprimidos diferentes (1 comprimido com Tenofovir e  Lamivudina + 1 comprimido com Dolutegravir), que devem ser tomados uma vez ao dia por 28 dias e não deve se pular nenhum dia.

Existem também outros esquemas disponíveis, seu médico indicará o que mais se adequada ao seu caso.

É preciso tomar o medicamento no mesmo horário?

Preferencialmente sim. No entanto, pequenas variações de tempo entre as tomadas não interfere na eficácia do tratamento.

Esqueci de tomar o remédio do HIV. E agora?

No caso do uso da PEP, mesmo que a pessoa esqueça de tomar por um dia o medicamento, não é recomendado que interrompa o tratamento. O esquema diminui a quantidade de vírus HIV circulando no sangue, esse esquecimento aumenta o risco de alguma falha no tratamento, mas não perde todo seu efeito. Lembrando que qualquer imprevisto deverá ser reportado ao médico que está te acompanhando.

 

Após receber o diagnóstico da infecção por HIV/AIDS, o paciente deve marcar ou pode ser encaminhado para uma consulta com um Especialista na área de Infectologia. Estou aqui para ajudar a prolongar a vida e manter a qualidade para que sua saúde permaneça praticamente intacta.