(11) 2533-0292
sexta-feira, 16 novembro 2018
Prevenção Do Hiv
AIDSEspecialista em Aidsespecialista hivHIVhiv spPrevenção HIV

Quais as formas de prevenção do HIV?

38visualizações
3 min leitura

Quais as formas de prevenção do HIV?

Antes de falar sobre as formas de Prevenção do HIV, precisamos nos perguntar:

O que é uma exposição de risco?

Exposição de risco para o vírus do HIV é aquela onde um vírus viável (ou seja, que esteja vivo e capaz de infectar) entra em contato com o organismo da pessoa que não seja portadora do vírus. Para que isso ocorra, é necessário que um material potencialmente contaminado com o organismo viável (sangue, fluido sexual, etc), em quantidade suficiente para infectar, entre em contato direto com pele não íntegra (por exemplo, com uma ferida aberta), contato direto com mucosa (olhos, boca, mucosa genital) ou que seja introduzido pele pele íntegra por uma agulha que perfura a pele e leve este material direto para dentro do organismo de uma pessoa que não possui o HIV.

Entendo o que se configura uma exposição de risco, podemos partir então para as formas de prevenção.

Quais são os métodos de prevenção do HIV?

Quando surge o assunto sobre formas de se prevenir do HIV, logo vem à cabeça o uso de preservativo masculino (conhecido como camisinha). Esta é a forma mais conhecida para prevenção, não somente do HIV, como também de outras IST’s, além de ser um ótimo método contraceptivo.

Prevenção Do Hiv

No entanto há outras formas de prevenção do HIV que são menos conhecidas ou menos utilizadas pela população em geral, que são tão eficiente quanto o uso de preservativo masculino.

E esses métodos são:

  • Preservativo interno

Popularmente conhecido como preservativo feminino, ele pode ser utilizado tanto para sexo vaginal como para o anal (mais comum entre homens no sexo anal passivo).

  • Uso de PreP (Especificamente o HIV)

Essa estratégia de prevenção é utilizada principalmente pelas pessoas que não possuem o vírus, que é feita através do uso de uma medicação com o intuito de evitar se infectar pelo vírus, mesmo em uma situação de exposição.

  • Realizar exames específicos sempre que houver alguma confirmada ou situação de risco;

Realizar exames específicos para o diagnóstico do HIV sempre houver alguma suspeita de infecção ou situação de risco de se infectar.

  • Diagnóstico precoce e tratamento de todos as pessoas portadoras

Quando é feito um diagnóstico precoce e dado início ao tratamento, a pessoa tem o controle do vírus, podendo ficar com carga viral indetectável. Pessoas com carga viral persistentemente suprimida, são incapazes de transmitir o vírus por relação sexual, mesmo sem preservativo.

  • PEP (profilaxia pós exposição)

Mediante uma exposição de risco, pode ser utilizado a PEP para evitar que o vírus se espalhe no organismo da pessoa e a infecte. No entanto, para que este método seja eficiente, é necessário seguir algumas instruções. Saiba mais  aqui.

Na dúvida se houve exposição ou não, ou mediante a certeza de uma exposição ao risco de se infectar, você deve procurar um médico infectologista de sua confiança para te avaliar pessoalmente e solicitar todos os exames pertinentes, não apenas os de HIV mas os de todas as demais infecções sexualmente transmissíveis (IST’s) e que podem ser transmitidas da mesma forma que o HIV, independente de apresentar sintomas ou não.

Entre em contato e agende sua consulta.

Após receber o diagnóstico da infecção por HIV/AIDS, o paciente deve marcar ou pode ser encaminhado para uma consulta com um Especialista na área de Infectologia. Estou aqui para ajudar a prolongar a vida e manter a qualidade para que sua saúde permaneça praticamente intacta.